top of page

A luta LGBTQI+ e o papel das pessoas e empresas aliadas

A luta pela igualdade e pelos direitos das pessoas LGBTQI+ é um movimento social com raízes profundas na história e que tem evoluído ao longo dos anos. Desde as revoltas de Stonewall até os avanços legais recentes, a comunidade LGBTQI+ tem enfrentado desafios significativos na busca pela igualdade e por seus direitos. Nesse contexto, as pessoas aliadas têm desempenhado um papel crucial na luta, amplificando e somando as vozes na busca de uma sociedade mais justa e inclusiva.


A origem da luta LGBTQI+


A história da luta LGBTQI+ é de séculos de marginalização e discriminação. Antes mesmo da pauta começar a ser discutida, já existiam indivíduos que desafiavam as normas sociais e lutavam pelos seus direitos. As raízes desse movimento podem ser encontradas no final do século XIX e início do século XX, quando os primeiros grupos de ativistas LGBTQI+ começaram a surgir.

A década de 1960 foi um marco importante para a luta LGBTQI+. No dia 28 de junho de 1969, ocorreram os famosos protestos de Stonewall, em Nova Iorque, após uma série de invasões policiais violentas em bares frequentados pelo público LGBTQI+. Esses eventos desencadearam uma onda de ativismo e protestos em todo o país, impulsionando a luta por direitos civis e pela igualdade. A partir de então, o movimento ganhou força e visibilidade, estabelecendo a base para as batalhas futuras.

Este acontecimento ficou para sempre marcado e é o motivo pelo qual o mês de junho é conhecido como o mês do orgulho e o dia 28 de junho passou a ser declarado o Dia Internacional do Orgulho LGBTI+.


A importância e a contribuição das pessoas aliadas

As pessoas aliadas desempenham um papel crucial na luta LGBTQI+, oferecendo suporte, solidariedade e levantando suas vozes em apoio aos direitos e à igualdade da comunidade. A aliança é uma demonstração de empatia, respeito e compreensão para com as experiências e desafios enfrentados pelas pessoas LGBTQI+.

Por meio de ações como compartilhamento de informações, divulgação nas mídias sociais, participação em protestos e discursos públicos, as pessoas aliadas ajudam a aumentar a conscientização sobre as questões enfrentadas pela comunidade e a demanda por mudanças.

As pessoas aliadas também desempenham um papel importante ao fornecer apoio emocional e ajudar a criar espaços seguros para a comunidade LGBTQI+. Ao oferecer um ambiente acolhedor e inclusivo em suas famílias, locais de trabalho, escolas e comunidades, elas ajudam a combater o estigma e a discriminação, promovendo a aceitação e o respeito.

É essencial reconhecer que ser uma pessoa aliada não se trata apenas de palavras, mas de ações consistentes e contínuas. Ser aliado requer autoeducação, reflexão e disposição para enfrentar desconfortos e desafios. É importante lembrar que as pessoas aliadas não estão no centro da luta LGBTQI+, mas sim ao lado dela, apoiando e impulsionando a comunidade.


O papel das empresas

As empresas têm a capacidade de influenciar a sociedade e promover a igualdade por meio de suas políticas internas e práticas de inclusão. Ao estabelecer políticas de não discriminação e criar ambientes de trabalho seguros e inclusivos, as empresas podem se tornar agentes de mudança e garantir as pessoas LGBTQI+ sejam respeitadas e tratadas com igualdade dentro da organização.

Além disso, as empresas podem desempenhar um papel significativo na promoção da diversidade e inclusão não apenas dentro de suas organizações, mas também na sociedade em geral. Ao assumirem posições públicas de apoio aos direitos LGBTQI+, as empresas enviam uma mensagem clara de inclusão e igualdade, influenciando positivamente a opinião pública e contribuindo para a mudança cultural.


Conheça as suas pessoas

Ações e políticas de diversidade devem ser bem direcionadas e atender os públicos adequadamente, em suas individualidades, e isso deve começar com um mapeamento da diversidade e perfil das pessoas na organização.

Realize o seu mapeamento e acompanhe essa evolução continuamente!


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page